• Equipe Editorial Kaya Terapias

Tantra para mulheres em BH: Principais mitos e verdades!

O Tantra é um saber comportamental que oferece uma jornada transformadora em termos de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.


No imaginário coletivo o Tantra ainda é visto apenas como uma prática sexual ou voltado somente para a sexualidade. Aliás, muitas vezes o Tantra é divulgado como uma prática que oferece fórmulas prontas para orgasmos inesquecíveis. Mas tratá-lo dessa forma é empobrecer todas as possibilidades que esse caminho de desenvolvimento pessoal e espiritual oferece!


Massagem Tântrica: um processo milenar que promove autoconhecimento!


Para além do ato sexual, o Tantra é um saber milenar comportamental que auxilia em diversas áreas da vida, sendo a sexualidade uma delas. No cerne do Tantra estão fundamentos como o autoconhecimento, a reconexão com o seu próprio corpo, uma nova visão sobre o prazer, na qual ele se torna parte da sua evolução.

Na prática, a energia sexual é reverenciada como potência transformadora da nossa relação com a vida, uma vez que afeta diretamente a nossa criatividade, a nossa habilidade de se sentir pertencentes e conectadas com o mundo, abertas para experimentar novos espaços internos, novas sensações e novas dinâmicas na vida.


O Tantra é, em sua essência, um saber matriarcal, sensorial e desrepressor. Esses três pilares do saber tântrico já nos dão a pista de quão importante o feminino é para as experiências com o Tantra. Os praticantes de Tantra sabem a importância de se reverenciar os atributos femininos da energia, especialmente a rendição, um estado de confiança em se abrir para experimentar a nossa potência orgástica - aqui estamos falando de algo que vai além de picos de prazer sexual.


Massagem Tântrica: Porque estimular o prazer com o Tantra?


A aplicação do tantra na vida da mulher pode ter diferentes objetivos. Ele funciona como um meio possível para a cura de disfunções como vaginismo, problemas de lubrificação, falta de libido e incontinência urinária, por exemplo. Mas, além disso, também é terapêutico para casos de abuso sexual, abuso psicólogo, traumas, depressão ou apenas para o autoconhecimento e empoderamento feminino.

Aqui nesse texto escolhemos nos referenciar em uma reportagem que traz algumas informações sobre o Tantra na vida das mulheres, em um formato que apresenta alguns tópicos, esclarecendo se são mitos ou verdades:

O tantra é a mesma coisa que sexo. MITO.

Talvez essa seja a maior mentira contada no ocidente sobre o tantra. Isso porque a prática oriental em torno do Tantra traz uma visão positiva sobre o sexo, mas não se resume a ele. É muito importante saber diferenciar as duas coisas. O sexo tântrico apresenta novas formas de vivenciar o prazer, seja sozinha ou acompanhada. Aquilo que se denomina terapêutica tântrica tem o prazer como elemento guia, com a proposta de reconexão com o corpo e com a essência. É uma nova visão sobre o prazer em geral, sobre a essência de sentir o prazer nas pequenas coisas, nos detalhes da vida.

A mulher que pratica o tantra é julgada. VERDADE.

É preciso lembrar que o nosso modelo de sociedade possui um cunho patriarcal. Está na essência do modelo patriarcal o temor pelo empoderamento feminino. Basta dizer que a prática sexual predominante até possui a ideia da busca pelo prazer, mas desde que seja um prazer controlado por comportamentos masculinizados - fazer, contrair, empurrar, controlar, conter, prever, comparar, dominar, conquistar e, finalmente, atingir, alcançar algo. Nesse modelo de prazer não há espaço para vulnerabilidades, pois isso é sinal de fraqueza na visão patriarcal. Então, há que se controlar o feminino. Para o Tantra, não se controla o feminino, pelo contrário, a prática tântrica se beneficia do poder existente no feminino que há em todos nós. Para o Tantra, prazer empodera e liberta, portanto, a sexualidade é o processo mais incrível à nossa disposição para experimentar esse empoderamento. Segundo a reportagem, "a mulher que decide conhecer a filosofia sente na pele a real transformação interior, começa se amar mais, entende a vida de uma forma diferente e dá início a uma jornada única onde todos os paradigmas são quebrados e a libertação se torna palpável e real. Tantra não é sexo, tantra é o encontro do seu eu interior com o seu exterior”, explica Talita Góis. E isso incomoda aqueles que defendem um papel diferente para o feminino.


O Tantra é só para casais e pessoas heterossexuais. MITO.

Homens, mulheres, e tudo o que cabe nas identificações de gênero; casais, solteiros, amigues; héteros, homoafetivos, pansexuais, e mais tudo aquilo que uma pessoa entender como sendo a sua orientação sexual: Tantra é para todes! Inclusive, muitas pessoas não imaginam que quem tem alguma deficiência física possa praticar o Tantra. É uma terapêutica para quem quiser e se interessar, justamente por transformar a vida de cada um, e ensinar a se olhar de forma diferente daquilo que é “socialmente imposto como sendo o melhor modelo”.


O Tantra busca o equilíbrio. VERDADE.

Estar em estado de equilíbrio significa estar em estado de harmonia interna. Nosso sistema biológico funciona em uma combinação entre expansão, contração e relaxamento. Cada um destes três elementos é importante para a existência dos outros dois. Se a nossa programação biológica puder fluir de maneira espontânea, é nessa dinâmica que ela se organizará, e seremos assim pessoas menos tensas, menos bloqueadas, menos neuróticas. “Acho muito importante sempre ressaltar o quanto a prática do tantra vai muito além dos lugares-comuns disseminados na sociedade. A terapia tântrica busca o equilíbrio mental e psicológico. Assim como muitas terapias, funciona para o relaxamento corporal e a libertação de acúmulos de tensões nos músculos”, diz reportagem.


A prática do Tantra pode oferecer benefícios para as mulheres, tanto fisicamente quanto emocionalmente? VERDADE.

Os benefícios do Tantra para mulheres são inúmeros. As práticas ajudam a fortalecer a musculatura pélvica, trabalhar as disfunções sexuais, melhorar a autoestima, tem o poder de ressignificar traumas, liberar bloqueios, tratar quadros de depressão e problemas como ansiedade e estresse. O Tantra trabalha o autoconhecimento e o empoderamento feminino através da aceitação do próprio corpo como forma de amar sua própria história.


A mulher não é submissa no Tantra. VERDADE.

Gostar ou não de dominar ou ser dominada está diretamente ligado ao empoderamento e autoconhecimento do próprio corpo e caminhos de prazer. O Tantra serve para quebrar todas as barreiras e libertar o instinto e a energia sexual acumulada. A mulher vai descobrir com as práticas do Tantra a se encantar com aquilo que faz sentido para ela, e essa descoberta passa por descobrir quais são as reais necessidades do seu corpo. Para o Tantra, o seu corpo é o seu templo. Praticar o Tantra é ser naturalista na sua essência, se conhecer e enfrentar suas sombras para assim superá-las e tomar consciência do seu ser e sentir. Para mulheres, vai muito além da perspectiva natural de autoamor, trata-se da mais pura libertação.


Muitas mulheres têm medo de praticar ou experimentar o Tantra? VERDADE.

Infelizmente, no ocidente o Tantra é muitas vezes “vendido” de forma vulgarizada. Pessoas vinculam a experiência tântrica a coisas que fogem totalmente da sua essência. Assim, há pessoas oferecendo experiências com o Tantra que servem para perpetuar traumas sexuais, inclusive pessoas que se autodenominam “terapeutas tântricos”. É muito importante que uma mulher saiba escolher adequadamente quem poderá funcionar como veículo de apresentação desse universo maravilhoso do Tantra. Escolha alguém que possua experiência e que esteja vinculado a espaços sérios e profissionais de atendimentos com a terapêutica tântrica. É muito importante que as mulheres busquem locais sérios, com informações claras e transparentes, e profissionais capacitados e treinados. Isso traz confiança para que as mulheres possam procurar esse processo terapêutico.


Massagem tântrica serve apenas para se ter um orgasmo. MITO.

A terapia tântrica vai muito além do prazer sexual. É verdade que muitas mulheres nunca chegaram ao orgasmo com seus parceiros, pois não conhecem o poder do seu corpo, da sua sexualidade e sua real intimidade. O Tantra oferece excelentes oportunidades para que as pessoas possam vivenciar uma libertação emocional e sexual, e aprender na prática a ser empoderada consigo mesma. O Tantra não se trata de sexo, se trata de conhecimento e transformação.



Via: glamour.globo.com/lifestyle

38 visualizações0 comentário